Bárbara Figueiredo – Intervenção

Misteriosidade e Relações Afectivas
O mistério que garante a nossa sobrevivência

O processo evolutivo conduziu à seleção de um reportório de comportamentos – quer no adulto, comportamentos de prestação de cuidados, quer na criança, comportamentos de vinculação – que garantem sobrevivência da criança, e assim a sobrevivência da espécie.
O modo como estes dois sistemas comportamentais se adequam um com o outro, continua a surpreender, não apenas os pais, mas também os cientistas. Não obstante, hoje saber-se que o cérebro do adulto é particularmente ativado por estímulos específicos do bebé e, em determinados momentos, está mais receptivo a esses estímulos, como durante a gravidez e o pós-parto, em consequência de mudanças hormonais que se verificam quer na mulher quer no homem. Não obstante, hoje saber-se que o cérebro do bebé está pré-determinado a responder em espelho a algumas atividades especificas que observado no adulto, permitindo por exemplo que imite o seu interlocutor.
Muito há ainda para descobrir acerca do mistério que garante a nossa sobrevivência enquanto pessoas.